TODOS

Rotina pesada

“Sou Silvio Donizette Pereira Lima, 45 anos. Mexo na parte da roça, dos tratores. Já tem uns 15 anos que eu faço isso. Minha rotina é pesada, acordo 4h da manhã, venho pra cá, limpo os coxos, trato o gado, roço os pastos. Tem muita coisa durante o dia. Aqui na fazenda eu aprendi muita ...continue lendo

Lição para a vida

“Meu nome é Roseli Rosângela Costa Silva, tenho 52 anos, trabalhar aqui no centrinho é uma coisa muito gratificante, traz um monte de lição pra vida, trabalhar com esses pacientes a gente deixa de reclamar da vida, todo o restante passa a ser bom, as vezes a gente reclama que não tem uma coisa desnecessária ...continue lendo

Vida de ontem

“O meu nome é Benedito Correa, nasci em 21 de outubro, tenho 84 anos, morador de Picinguaba. Meu avô foi o primeiro homem que levantou isso aqui, ele e mais 4 famílias, naquele tempo que você não tinha ganância de terra, você chegava e dizia “seu João, posso fazer uma casinha?”. Se deixasse você fazia. ...continue lendo

Beira do Rio

“Damião Ferreira Lima, 43 anos, aqui no rio no Tietê gosto muito de pescar, trabalho de vigilante aqui no porco, aqui tem muita riqueza que o homem ‘tá’ destruindo, muita poluição, aqui é muito rico em natureza… eu vivo a natureza aqui em Araçatuba, sou nascido e criado aqui. Eu era pescador né, vinha pescar ...continue lendo

Amor por Paraisópolis

“Meu nome é Francisca Quitéria da Silva Rodrigues, tenho 33 anos, nasci em Fortaleza e cheguei em São Paulo em 87, veio eu, minha mãe e 2 irmãs, viemos porquê minha mãe veio fugida do meu pai porquê ele era agressivo quando bebia. Meus tios ajudaram, minha mãe pegou a gente um dia e falou ...continue lendo

Mãe exemplar

“Me chamo Aparecida das Graças Votolino de Souza, eu vou fazer 60 anos. Quarenta anos aqui nessa propriedade. Eu procuro ser uma mãe exemplar, uma mãe espelho, procuro colocar na família aquilo que eu tenho à base de vida, ao longo da vida. Eu procuro ouvir mais e falar menos, pra gente conviver com todas ...continue lendo

Rio Tietê

“Meu nome é Otair Fantinatti, tenho 41 anos. Trabalho com a extração de areia, né, manutenção de embarcações. Já fui fabricante de embarcação e agora eu mexo com essa parte da extração de areia já tem uns 4 anos isso. O rio Tietê eu conheço daqui até São Paulo, desde 2012 eu trabalho dentro do ...continue lendo

Morar na Capão

“Meu nome é Rodrigo Gomes de Lima, fazendo 40 anos hoje, sou paulistano, nascido em São Paulo e ‘tamo’ aí. Nasci no Jardim Mirian, mas moro no Capão atualmente. Aqui eu não tenho muita história, minha história é mais pra lá mesmo, minha vida sempre foi trabalhar, cuidar de família, é isso aí. Minha infância ...continue lendo

Morar na ocupação

“Maura Aparecida Souza Clementino, eu moro aqui na região de Sumaré há 37 anos. Não moro aqui no Vila Soma, eu tenho casa no Bandeirantes. Mas sabe, apesar de todas as dificuldades que o pessoal tem vivendo aqui nessa ocupação eu viria pra cá se tivesse a oportunidade. Viria pra respirar, sabe. Seja a questão ...continue lendo

Tóquio Araçatuba

“Meu nome é Katyuscia Sayuri Shino, tenho 24 anos, eu nasci em Araçatuba, fiquei aqui em Araçatuba até os 9 anos. Minha infância foi tranquila, eu morei com os meus avós a maior parte, foi bem interiorana. Eu fui bem mimada na infância, a minha vó uma era da cidade e outra era do sitio, ...continue lendo

Viver Paraisópolis

“Meu nome completo é Ismael Silva Maia, tenho 23 anos, na quebrada sou conhecido como Link. Aqui no Paraisópolis eu participo da junta de modelos, sou tatuador, ando de skate nas horas vagas e é isso. Nasci na Bahia, vim morar aqui bem no dia do meu aniversário de 12 anos, vim com a minha ...continue lendo

Minha vida na pesca

“Meu nome inteiro é Igor de Souza, minha idade é 37 anos. Trabalho na pesca desde muito menino, sempre foi minha grande paixão. Sempre gostei muito ! Hoje em dia não vou dizer pra você que não gosto, porquê ainda faço um pouco, mas faço menos, muito menos do que antes. Antes eu era solteiro, ...continue lendo

Araçatuba e UNESP

“Meu nome é Marina Costa Faria, tenho 24 anos e sou médica veterinária. faz algum tempo que eu ando de um lado pro outro por causa da faculdade que sempre exigiu muito essa coisa de fazer os estágios e de conhecer novos campos de trabalho, e com isso eu vim parar em Araçatuba, caí meio ...continue lendo

Luta no MST

“Meu nome é Edson de Oliveira, ‘tô’ no acampamento há 1 ano e 3 meses, e a relação que a gente tem aqui a respeito do ambiente foi o melhor lugar que a gente achou pra se manter mais focado nas coisas, entendeu? no começo quando eu vim pra cá todo mundo achava que eu ...continue lendo

Ensinar desafios

“Meu nome é Cistina Maria Luísa da Silva, eu tenho 36 anos, tem 20 anos que eu saí de Macaé, eu moro em Paraty e trabalho aqui no sertão de Ubatumirim, nessa escola já fazem 3 anos. quis muito trabalhar aqui, me identifiquei com a comunidade, com as carências, é um desafio educacional, social e ...continue lendo

Aprender com ele

“Meu nome é Antônio Edinaldo da Silva, conhecido por Bebela, maluco beleza do Morumbi, sou pernambucano, tenho 53 anos, vim pra São Paulo no começo de 2001. Primeiro eu vim sozinho, lá no Pernambuco as coisas era muito difícil pra sobreviver, aí eu vi que pra gente viver melhor tinha que procurar um lugar melhor ...continue lendo

Normal do Tiete

“Ninguém ia acreditar que pesquei esse peixe aqui nessa altura do Tiete, isso é espécie que tem la pros lados do pantanal. Aqui não é normal.”

Surpreender com a vida

“Meu nome é William da Rosa, tenho 21 anos. Nasci no interior do Rio Grande do Sul, capital das missões, Santo Ângelo. Vivi lá até meus 19 anos, meus pais ainda moram lá, comecei a trabalhar nas Lojas Americanas, conheci o gerente, acabou rolando um clima e fui demitido da empresa… enfim, longa história, fui ...continue lendo

Entalhados e madeiras

“Trabalho com entalhados e madeiras, artista plástico e comecei a trabalhar desde quando eu comecei a escrever no primário, Deus foi me dando discernimento e sou autodidata, hoje faço trabalho pra igrejas, pra prefeituras e vivo disso, faço serviço graças a Deus.”

Luta pela educação

“Sergio Alberto Soares, tenho 40 anos. Então, a minha história de vida é o seguinte, comecei com 7 anos nas artes marciais, no karatê, e passei por várias outras. Minha vida toda foi em prol das artes marciais e vivo até hoje com 40. Me formei, peguei faixa preta em karatê, em kickboxing, fui conhecendo ...continue lendo

Bióloga apaixonada

“Márcia Lavor Cintra, parte do projeto Tamar desde 1994, que é quando o projeto estava começando em Ubatuba. Eu vim do Mato Grosso do Sul, eu fazia faculdade de biologia e minha orientadora era amiga da Berenice. Na época uma turma de biólogos ‘tava’ indo fazer um estágio no Tamar, mas la no Espírito Santo, ...continue lendo

Mudanças constantes

“Meu nome é Lucas Akiu, eu tenho 28 anos. Nasci em Araçatuba mesmo aqui na cidade, sempre morei aqui, cidade tranquila. Vida boa. Sou funcionário público atualmente mas já passei por tudo, quando comecei a estudar já fui técnico em eletroeletrônica, já fiz de tudo até chegar aqui. Mesmo no estudo, comecei engenharia da computação, ...continue lendo

Nova geração

“Antônio Luiz Carvalho, eu nasci 12 de junho de 1953. Eu nasci aqui nessa fazenda, na Fazenda Criciúma. Eu nasci aqui, estudei aqui, cresci aqui. Meus pais trabalhavam aqui, era só café, depois veio algodão, milho e a partir de 82 começou a iniciar o plantio de cana. Aí construiu a destilaria e apareceu mais ...continue lendo

Meu paraíso

“Meu nome é Antônio Vieira, mais conhecido como Eurico. Hoje com 55 anos posso dizer que as minhas dificuldades já passaram tudo. No trabalho mesmo, antes você tinha que subir o morro ali pra trabalhar, carregar material pra esse morro todo aí, entendeu? Aí um dia eu peguei meu guarda-sol e comecei vender coco. Já ...continue lendo

Segurança na cana

“Claudinei Aparecido Cardoso, 45 anos de idade, dos quais uns vinte e cinco no mundo da cana. Hoje eu sou o líder aqui, né? Eu comando a rapaziada aqui na colheita mecanizada e é onde a gente procura fazer o melhor. Acho que pra ser um bom líder você tem que saber o serviço do ...continue lendo

Sonho do trabalho

“José de Souza Santos, 59 anos. A minha história é dura. Eu fui abandonado pelos meus pais aqui onde antigamente era creche, nunca mais vieram me buscar em São Paulo. Dormi duas noites aqui e depois fui pro Belenzinho, depois me transferiram lá pra Sorocaba, cresci lá, não conheço nem pai nem mãe, fiquei em ...continue lendo

Professora dos saberes

“Meu nome é Lilian Ramos, trabalho para a Prefeitura de Ubatuba desde 2007, primeiramente como professora adjunta, atualmente estou efetiva na rede municipal. Desses quase 10 anos lecionando, 7 deles trabalho nesse cenário paradisíaco em uma escola pequena chamada E. Mas. Prof. Ibere Ananás Pimentel, com turmas multisseriadas de frente a uma praia calma e ...continue lendo

Arte no Capão

“Sou o Carlos Henrique, tenho 31 anos, moro aqui no Capão Redondo desde que nasci, atualmente faço grafite mas desde pequeno gosto de desenho. Minha infância foi toda como pichador, aí a gente cresce e precisa pagar as contas, então ‘tô’ há uns 3 anos dedicando a grafite na rua, legal, ilegal, autorizado, não autorizado. ...continue lendo

Plantando esperança

“Estou na luta pela terra fazem alguns anos. Eu ‘tô’ aqui nesse acampamento há 3 anos. Sabe o que plantamos aqui? A gente planta esperança. Esperança de sair uma terrinha pra gente plantar mais coisas, tocar nossa vida.”

Mundo da cana

“Tenho 35 anos, meu nome é Alex Aparecido Francisco. Antigamente eu trabalhava de auxiliar de servente, por 8 anos trabalhei em obras. Depois trabalhei em outra empresa mais 13 e agora ‘tô’ aqui na cana fazem 2 anos. Trabalho no bombeiro com caminhão pipa, aqui a gente tem a função de emitir nota pra empresa, ...continue lendo