Empoderamento Negro

Você está aqui:
TODOS
Empoderamento Negro



Empoderamento Negro

“A história da nossa comunidade é uma história de resistência, de luta e de empoderamento da mulher negra. É notório quando as mulheres passam por esse espaço, aliás, todos que passam pelo jongo, de certa medida passam por uma transformação, mas é muito mais notório quando se trata da mulher negra, que chega aqui de um jeito e sai diferente. Se ela tem que caminhar para outros campos, ela já caminha de outra forma, muito mais empoderada, muito mais certa do que ela é, então eu vejo esse espaço como esse espaço de empoderamento, de mostrar novas possibilidade, porque nós, enquanto mulher sofremos muito por várias questões.

A gente percebe por exemplo que as mulheres aqui tem histórias muito parecidas, do filho que foi preso, do filho que está no tráfico, ou da família que despreza, ou do cabelo que ela não aceita. São histórias muito comuns, de mulheres que sofrem violência de alguma medida, e aí quando chega aqui a gente vivencia um outro mundo, uma outra possibilidade. Uma possibilidade que a gente passa a ser dona mesmo das nossas histórias, e nos aceitar como a gente é. Então pra mim estar no jongo é um pouco isso.

Quando eu comecei lá em 2003, 2004 era um jongo muito diferente do que é hoje. E esse encontro com ancestralidade também pra mim é muito importante, foi com o jongo que eu descobri a minha ancestralidade, a ancestralidade espiritual, a ancestralidade cultural, foi aqui que eu consegui dar um norte pra um monte de coisas nesse sentido, que até então, quando eu estava no período escolar, era meio assim, o que eu sou na minha vida? Eu sou preta, eu sou branca, o que que eu sou? E quando eu comecei a transitar por esses grupos eu comecei a me questionar, eu sou gorda? Eu quero ser magra? O que eu sou? Esses grupos nos ajudam a nos encontrar mesmo, a nos mostrar que é possível a gente ser feliz do jeito que a gente é. Então eu vejo esse espaço assim, esse reencontro comigo mesmo, com a minha ancestralidade.”

Tags: Adulto, Artistas, Campinas, Dança, Em pé, Familia, Fazenda, Individual, Meio Corpo, Mulher, PROAC, São Paulo, Sudeste, Tomás Cajueiro

Informações

Cidade
Campinas – SP
Data
Junho 2017
Fotógrafo
Tomás Cajueiro
Compartilhe com seus amigos!