Meu desafio

Você está aqui:
TODOS
Meu desafio



Meu desafio

“Meu nome é Cindy Muniz, e tenho 22 anos. Comparando com os outros, eu nem tive tantas dificuldades, nem tantas assim. Surgiram algumas pedras nos caminhos, problemas, claro, mas problemas sempre surgem.

O verdadeiro desafio da minha vida, a verdadeira dificuldade, sou eu, sempre fui eu. Desde que me entendo por gente eu sinto medo, medo de fracassar, de decepcionar e magoar as pessoas, de me magoar. Eu achei que se eu fosse defensiva e focasse em outras coisas, em outras pessoas, que se eu conseguisse não sentir eu não sofreria.
Mas fiz besteira, eu não só me desliguei da dor como me desliguei de tudo. Do lado bom e do lado ruim.

Até que não sobrou nada, a gente pode viver o agora, mas o melhor do agora é que amanhã tem mais. E eu fiz isso contar, busquei aquilo que me fizesse bem, aquele toque que abraça o coração!

Taiko, usualmente denominada ao instrumento de percussão japonesa, porém, Taiko não é, uma simples tradução para o tambor japonês, tem um significado muito mais abrangente. Não resumimos em apenas tocar um tambor, por que isso todo mundo faz, mas sim de tocar com a alma, incorporar e expressar um sentimento de um só coração, praticando a elevação espiritual.

Ter conhecido desta arte milenar japonesa e herdado este valor, só me dá mais vontade de cultivá-lo, preservá-lo e propagá-lo mundo a fora. Implantando o sentimento que preza aos mais velhos e ao próximo, a cooperação mútua do grupo, as amizades, as responsabilidades, determinação, desenvolvendo um corpo vigoroso, sadio e a filosofia de humildade e eficácia, sempre!

Muitos perguntam quando eu vou me cansar, e eu respondo: ‘você se cansou da sua família? Pensa em largar eles? Aí está a sua resposta!’

Agradeço ao grupo Ribeira Ryofu Daiko, aonde toco há 8 anos, que me ajudou a ser mais comunicativa, me ensinou como tratar as pessoas, a lidar com essas inúmeras formas de personalidades que existem por aí. Buscando um aprendizado constante e experiências novas, porque o taiko não é apenas um grupo de pessoas tocando tambores, somos uma família!

E pra finalizar, uma frase de um grande amigo meu: ‘O ar é como taiko, não somente se toca, se respira!'”

Tags: Adulto, Atletas, Individual, Japones, Meio Corpo, PROAC, Registro, Rua, São Paulo, Sudeste, Tomás Cajueiro

Informações

Cidade
Registro – SP
Data
Fevereiro 2017
Fotógrafo
Tomás Cajueiro
Compartilhe com seus amigos!