Sonho de nadar

Você está aqui:
TODOS
Sonho de nadar



Sonho de nadar

“Eu comecei a nadar porque eu tinha um problema na coluna cervical e meu ortopedista recomendou que eu começasse a nadar, porque caso isso piorasse eu poderia até fazer uma cirurgia, né!? Então, eu comecei a nadar na academia e acabei me desenvolvendo. Meu ex-técnico foi quem me iniciou, ele viu que eu tinha potencial; até então eu competia em competições convencionais, eu não conhecia o mundo paraolímpico. O conheci em 2010, nos jogos regionais e dai em diante eu não parei mais. Peguei gosto da coisa. Nessa parte tem um fato curioso, porque eu não me sentia um paraolímpico; então, até na época eu até discuti com meu ex-técnico, ‘não quero, não vou! ’ Aí ele acabou apelando para o meu outro lado, a minha mãe, aí eu acabei indo.

Meu sonho é parecido com o de todos, é chegar na paraolimpíada. Tenho a honra de dividir a piscina com gente que já chegou lá. É gratificante, é legal demais. Tem a Cecília, vira e mexe eu falo que sou muito fã dela, a Raquel, também, eu me inspiro bastante, o Lucas, o Felipe, eu e ele crescemos juntos.”

Tags: Academia, Adulto, Alan, Atletas, Corpo Inteiro, Em pé, Homem, Individual, Natação, PROAC, São Paulo, Sudeste, Tomás Cajueiro, Valinhos

Informações

Cidade
Indaiatuba - SP
Data
Março 2017
Fotógrafo
Tomás Cajueiro
Compartilhe com seus amigos!