Adulto

Você está aqui:
TODOS
A música 08set

A música

“Meu nome é Joyce Rodrigues, tenho 20 anos. Eu aprendi a tocar instrumentos quando eu tinha uns 6 anos o violão, minha mãe sempre tocou desde pequena, aí eu lembro que um dia ela ‘tava’ saindo de casa pra fazer alguma coisa e eu enchendo o saco dela há horas pra tocar violão. Aí ela
...continue lendo

Saudade do pai 07set

Saudade do pai

“Eu sinto muita falta do meu pai, acho que é a coisa que eu mais sinto falta. Meu pai trabalhava no garimpo, era difícil a vida, mas eu sinto muito a falta dele.”

Amor pela laranja 07set

Amor pela laranja

“Venho de uma família humilde, de trabalhadores rurais. Eu e meu irmão fizemos o máximo pra ajudar nossos pais. Eles tocavam roça, mexia com lavoura de grãos e também tirava leite. Desde pequeno eu acordava muito cedo pra ajudar eles. Lembro da mãe contar pra gente que quando era pequena apanhava algodão na região de
...continue lendo

Hip Hop em Bauru 06set

Hip Hop em Bauru

“Meu nome é David, eu tenho 23 anos de idade, moro em Bauru, nasci aqui na cidade. Meu envolvimento com a cultura é com o hip-hop, aprendi muito com ela. Comecei aos 9 anos de idade, meu pai era dançarino e me ensinou algumas coisas. Aí na vida eu encontrei muito o hip-hop de rua,
...continue lendo

Nossos sonhos 05set

Nossos sonhos

“Apesar das dificuldades ainda tenho meus sonhos. Mas tem que lutar, tem que trabalhar. Do dia pra noite é difícil de realizar ele. Eu acho que não dá. A gente consegue realizar ele conforme o que a gente gosta, conforme a gente luta.”

Exemplo da mãe 05set

Exemplo da mãe

“Talita de Melo Luiz, 29 anos. Entrei no CAPS no final de novembro do ano passado, entrei numa vaga provisória pra uma licença maternidade sem nunca ter trabalhado no CAPS antes. Mas foi algo que busquei, sabe. Fiquei quatro meses fazendo vários processos, tentando, tentando, e sofrendo, não conseguia. Foi uma luta, até que um
...continue lendo

Ser feliz 04set

Ser feliz

“Meu nome é João Henrique de Souza, sou do Estado de São Paulo, vim pro interior com 25 anos e chegando aqui eu fui trabalhar de cortador de cana. Logo de cara já achei emprego, mas porque eu aceitava o que aparecesse: bombeador de boi, fiz uns serviços como pedreiro, encanador, eletricista. Uma hora decidi
...continue lendo

A minha luta 04set

A minha luta

“Sou Paula Blanco, tenho 38 anos, sou moradora do Capão há 36 anos e nunca saí daqui. Minha infância aqui no bairro foi muito tranquila, se passou praticamente dentro de um condomínio, então eu acabei não sofrendo muito a influência do que era uma convivência na rua, ou até de assistir a violência que se
...continue lendo

Rolezinho no shopping 02set

Rolezinho no shopping

“Eu sou Yasmin Oliveira da Silva, tenho 18 anos, nasci aqui no Paraisópolis, fui criada aqui e nunca me mudei. Minha infância aqui foi normal, sempre tive amizade, sempre conheci muita gente. Eu me inscrevi no Homero, que tem o supletivo, como eu parei ‘tô’ voltando agora, ‘tô’ no 2º ano. Hoje em dia eu
...continue lendo

A vida na fazenda 01set

A vida na fazenda

“André Luís Carvalho, vou fazer 41 anos agora dia 13 de outubro, nasci aqui nessa fazenda que eu trabalho, meu pai também, minha avó mãe da minha mãe também é nascida aqui, então vem de geração trabalhar na cana, antes era mais cereais mas hoje é mais cana e soja. Posso dizer que conheço bem
...continue lendo

Contadora de Histórias 31ago

Contadora de Histórias

“Sou Tânia Aparecida Antunes, né, mas eu acabei por conhecer um encontro de aldeias indígenas e aí conheci uma índia e ela acabou me presenteando com o próprio nome dela que é Katuapó. Resolvi adotar porquê eu já adorava a ideia de ter um nome artístico e agora resolvi adotar Tânia Katuapó Antunes. Acho que
...continue lendo

O meu sonho 30ago

O meu sonho

“Sou da Paraíba, João Pessoa. Tenho 48 anos. É o seguinte, eu separei da minha esposa no começo do ano, agora eu passei por albergue também aqui na Barra Funda, já fui morador de rua 4 meses, agora ‘tô’ numa ocupação, graças a Deus ‘tá’ melhor que na rua. A diferença é pouca, pelo menos
...continue lendo

Filho de Paraisópolis 28ago

Filho de Paraisópolis

“Meu nome é Gilson Clemente da Silva, interessante falar que meu pai, que é Lourival Clemente da Silva, conhecido como Louro, foi um dos fundadores aqui de Paraisópolis. Sou o caçula de 4 filhos, nós fomos todos nascidos e criados aqui, numa época que isso aqui era tudo uma grande fazenda, na verdade o Morumbi
...continue lendo

Cidade e roça 28ago

Cidade e roça

“Entre a cidade e a roça, sem dúvida eu fico com a roça.”

Cidade despreparada 25ago

Cidade despreparada

“Meu nome completo é Benedito Honorato dos Santos Filho, eu nasci em São Paulo, atualmente moro em Araçatuba. Ser cadeirante aqui é terrível, você vê a calçada e ao mesmo tempo que ‘tá’ retinha já tem uma rampa. Então é perigoso, ninguém respeita os cadeirantes, ninguém pensa em quem vai passar na rua, só pensam
...continue lendo

Patrimônio da Cidade 25ago

Patrimônio da Cidade

“Atualmente estamos voltados ao patrimônio histórico do município, fazer o trabalho de reconstrução, restauração.” “É bastante gratificante porquê você trabalha com a história da cidade, então é todo um valor histórico que você tem que trabalhar pra ser valorizado pela população e aprender com isso, preservação, valor histórico.” “Já eu sou nova na cultura. ‘Tá’
...continue lendo

Sonho do Capão 25ago

Sonho do Capão

“Sou Valmir Roberto da Silva, tenho 35 anos. Valmir é um pobre louco, que situa constantemente cheio de complexos no sentido social, não aceita muito as condições sociais que o Estado nos oferece e vê diversas formas de ajudar as pessoas que precisam. Fui um moleque que sofreu muito, sou filho de Dona Maria Conceição
...continue lendo

Lembranças de Valinhos 25ago

Lembranças de Valinhos

“Eu nasci em 1962 e tenho muitas lembranças da Rua Sete de Setembro, principalmente dos carnavais, desfilei desde os 10 anos de idade na Águias da Avenida. Já com o futebol, joguei só no Rigesa, onde ganhei vários campeonatos, jogava de centroavante e tinha muita rivalidade aqui na cidade. Infelizmente Valinhos preservou pouco sua história
...continue lendo

Música em Bauru 24ago

Música em Bauru

“Eu sou Marcela Fernandes, tenho 35 anos, sou professora de arte em Bauru e sou maranhense de São Luís. ‘Tô’ aqui há 7 anos, vim pra estudar música, me formei em música aqui em Bauru mesmo já tendo uma formação em Artes Visuais lá no Maranhão. Me formei em música, sempre trabalhei com arte, com
...continue lendo

Meu Capão 24ago

Meu Capão

“Meu nome é Erasmo Cássio Ferreira, eu ‘tô’ com 46 anos. Eu sou nascido em Mirabela, município de Montes Claros, em Minas Gerais. Lá no Estado de Minas eu fui criado com uma sueca, filho adotivo de uma sueca, quase como se fosse um orfanato, e depois de 17 anos eu vim conhecer São Paulo.
...continue lendo