brasil

Você está aqui:
TODOS
Arte de rua 29nov

Arte de rua

“Meu nome é Fabinho Barreiro, tenho 33 anos, já canto há 20 anos na rua. Ser artista de rua é difícil, muito difícil ! O preconceito é muito, a gente vive com a palavra ‘não’. ‘Não’ pode isso, ‘não’ pode aquilo, por isso tem tanto marginal perdido por aí, se as autoridades e os políticos
...continue lendo

Saudade do filho 28nov

Saudade do filho

“Meu nome é Osvaldo da Silva, sou pedreiro, carpinteiro, caldeireiro. Tenho 54 anos bem vividos, bem aproveitados graças a Deus. Mas, olha, nos últimos tempos eu passei por um fato muito triste, eu que criei meus filhos da melhor maneira possível, eduquei, ensinei a profissão, criei dentro da igreja evangélica e por fim um se
...continue lendo

Morar na Capão 14out

Morar na Capão

“Meu nome é Rodrigo Gomes de Lima, fazendo 40 anos hoje, sou paulistano, nascido em São Paulo e ‘tamo’ aí. Nasci no Jardim Mirian, mas moro no Capão atualmente. Aqui eu não tenho muita história, minha história é mais pra lá mesmo, minha vida sempre foi trabalhar, cuidar de família, é isso aí. Minha infância
...continue lendo

Tóquio Araçatuba 13out

Tóquio Araçatuba

“Meu nome é Katyuscia Sayuri Shino, tenho 24 anos, eu nasci em Araçatuba, fiquei aqui em Araçatuba até os 9 anos. Minha infância foi tranquila, eu morei com os meus avós a maior parte, foi bem interiorana. Eu fui bem mimada na infância, a minha vó uma era da cidade e outra era do sitio,
...continue lendo

Viver Paraisópolis 12out

Viver Paraisópolis

“Meu nome completo é Ismael Silva Maia, tenho 23 anos, na quebrada sou conhecido como Link. Aqui no Paraisópolis eu participo da junta de modelos, sou tatuador, ando de skate nas horas vagas e é isso. Nasci na Bahia, vim morar aqui bem no dia do meu aniversário de 12 anos, vim com a minha
...continue lendo

Minha vida na pesca 12out

Minha vida na pesca

“Meu nome inteiro é Igor de Souza, minha idade é 37 anos. Trabalho na pesca desde muito menino, sempre foi minha grande paixão. Sempre gostei muito ! Hoje em dia não vou dizer pra você que não gosto, porquê ainda faço um pouco, mas faço menos, muito menos do que antes. Antes eu era solteiro,
...continue lendo

Araçatuba e UNESP 11out

Araçatuba e UNESP

“Meu nome é Marina Costa Faria, tenho 24 anos e sou médica veterinária. faz algum tempo que eu ando de um lado pro outro por causa da faculdade que sempre exigiu muito essa coisa de fazer os estágios e de conhecer novos campos de trabalho, e com isso eu vim parar em Araçatuba, caí meio
...continue lendo

Luta no MST 11out

Luta no MST

“Meu nome é Edson de Oliveira, ‘tô’ no acampamento há 1 ano e 3 meses, e a relação que a gente tem aqui a respeito do ambiente foi o melhor lugar que a gente achou pra se manter mais focado nas coisas, entendeu? no começo quando eu vim pra cá todo mundo achava que eu
...continue lendo

Ensinar desafios 10out

Ensinar desafios

“Meu nome é Cistina Maria Luísa da Silva, eu tenho 36 anos, tem 20 anos que eu saí de Macaé, eu moro em Paraty e trabalho aqui no sertão de Ubatumirim, nessa escola já fazem 3 anos. quis muito trabalhar aqui, me identifiquei com a comunidade, com as carências, é um desafio educacional, social e
...continue lendo

Mudanças constantes 06out

Mudanças constantes

“Meu nome é Lucas Akiu, eu tenho 28 anos. Nasci em Araçatuba mesmo aqui na cidade, sempre morei aqui, cidade tranquila. Vida boa. Sou funcionário público atualmente mas já passei por tudo, quando comecei a estudar já fui técnico em eletroeletrônica, já fiz de tudo até chegar aqui. Mesmo no estudo, comecei engenharia da computação,
...continue lendo

Mundo da cana 02out

Mundo da cana

“Tenho 35 anos, meu nome é Alex Aparecido Francisco. Antigamente eu trabalhava de auxiliar de servente, por 8 anos trabalhei em obras. Depois trabalhei em outra empresa mais 13 e agora ‘tô’ aqui na cana fazem 2 anos. Trabalho no bombeiro com caminhão pipa, aqui a gente tem a função de emitir nota pra empresa,
...continue lendo

Ela e ele 02out

Ela e ele

“A arte nos uniu, a música dele, as artes visuais minhas. Acho que essa sensibilidade que acabou nos unindo, apesar de linguagens diferentes. A sensibilidade de enxergar o mundo, ele através da música, eu através dos desenhos, das cores. A gente acabou unindo uma coisa à outra e fizemos a Clara.” (Ela) “Realmente, a arte
...continue lendo