Individual

Você está aqui:
TODOS
Brincar descalça 25out

Brincar descalça

“Gosto de brincar descalça. Gosto também de brincar com chinelo, mas descalça é melhor. É mais solto.”

Vida no Café 25out

Vida no Café

“Vivi todos meus anos no mundo do café. Da infância até hoje. Fico feliz, muito feliz, quando olho para trás e vejo tudo que vivi.”

Aprender e ensinar 24out

Aprender e ensinar

“Meu nome é Mariana dos Santos Trombetta, tenho 28 anos, sou casada há quase 5. Agora aqui na casa de caridade estou a 13 anos. Aqui eu já fiquei na cozinha ajudando na sopa, já fiquei no berçário com as crianças, a gente já deu aula de computação juntos. Também gosto muito de vir na
...continue lendo

A minha vida 23out

A minha vida

“Meu nome é Elizandra Cerqueira, tenho 29 anos. Eu nasci em Poções, na Bahia. A minha mãe, a origem dela é do Paraná, meu pai é da Bahia, eles se conheceram aqui em Paraisópolis e foram embora pra Bahia. Meu pai veio morar na construção civil aqui, pra ajudar a família na Bahia, e minha
...continue lendo

Aprendi com meus pais 23out

Aprendi com meus pais

“Vinturante Manuel de Assunção, 62 anos. Aprendi a fazer isso aqui com o meu pai, com a minha mãe. Aprendi assim, vendo eles fazerem. Porquê eles faziam e a gente ia ajudar, e naquilo que a gente foi ajudando, aprendi. Por isso fico muito feliz em poder fazer oficinas. Aqui foi muito bom. Eu me
...continue lendo

Estudo com a irmã 22out

Estudo com a irmã

“Eu estudo, ajudo minha mãe em casa, quando tem assembleia ali no Vila Soma eu vou, levo minha irmã Isabela comigo.”

Infância e praia 22out

Infância e praia

“Rosemar Castro de Paula, nascido em Picinguaba em 1966. Eu sou um pescador que já enjoou de pescar em alto mar, é cansativo, muitos dias fora. Hoje eu pesco artesanalmente e faço esse trabalho com os turistas de levar eles nas ilhas, vou levar os turistas pra pescar. Dá muita satisfação mostrar meu território pros
...continue lendo

Aprender e ler 21out

Aprender e ler

“Gosto de aprender. Gosto de ler.”

Fotografia 21out

Fotografia

“Tenho 25 anos, meu nome é Leonardo Henrique de Souza mas eu criei o meu próprio nome como Leo Eyed, eu sou guararapense, e como é uma cidade pequena e minha profissão expande muito que é moda dentro da fotografia. Então eu criei minha própria identidade. Estudei moda e fotografia em 2012, desde então só
...continue lendo

Livro da vida 20out

Livro da vida

“Sou Justiliano Marcos Nunes Duarte, 39 anos. Minha vida é um livro cuja história mais bonita foi quando eu tive minha mulher, meus filhos. Quando eu arrumei uma profissão, uma profissão bacana, sou chefe de cozinha, trabalho com comida de 4 países diferentes, faço comida brasileira, chinesa, japonesa, italiana. A história mais difícil foi quando
...continue lendo

Minha comunidade 20out

Minha comunidade

“Eu tenho 71 anos. Elena Simão dos Santos. Eu nasci em Pernambuco, Garanhuns, a terra que não chove e o mato é verde. Casei em 1970, vim pra cá e ‘tô’ aqui até hoje… eu fui pra Penha, morei 3 anos e meio lá, voltei pra Pernambuco duas vezes, e ‘tô’ dentro do Paraisópolis há
...continue lendo

Ele e eu 19out

Ele e eu

“Meu nome é Maria Moreira Barbosa, 77 anos. Quando eu fui buscar ele, ele é meu sobrinho, ele tinha 5 anos e tinha muitos problemas que a família não tinha como resolver, né. Aí eu fui buscar ele pra fazer o tratamento. Ele veio, ficou comigo, a gente fez os tratamentos que precisava, aí foi
...continue lendo

Rua de São Paulo 19out

Rua de São Paulo

“Sou Reginaldo Andrade dos Santos, 38 anos. Eu sou agente de segurança privada, aconteceu que vim pra São Paulo do Paraná e fiquei desempregado. Agora já fiz os treinamentos novamente pra poder voltar a trabalhar. No mês de junho eu vou pegar meu dinheiro e fazer a reciclagem de vigilante e voltar pro meu serviço.
...continue lendo

Rotina pesada 18out

Rotina pesada

“Sou Silvio Donizette Pereira Lima, 45 anos. Mexo na parte da roça, dos tratores. Já tem uns 15 anos que eu faço isso. Minha rotina é pesada, acordo 4h da manhã, venho pra cá, limpo os coxos, trato o gado, roço os pastos. Tem muita coisa durante o dia. Aqui na fazenda eu aprendi muita
...continue lendo

Lição para a vida 17out

Lição para a vida

“Meu nome é Roseli Rosângela Costa Silva, tenho 52 anos, trabalhar aqui no centrinho é uma coisa muito gratificante, traz um monte de lição pra vida, trabalhar com esses pacientes a gente deixa de reclamar da vida, todo o restante passa a ser bom, as vezes a gente reclama que não tem uma coisa desnecessária
...continue lendo

Vida de ontem 17out

Vida de ontem

“O meu nome é Benedito Correa, nasci em 21 de outubro, tenho 84 anos, morador de Picinguaba. Meu avô foi o primeiro homem que levantou isso aqui, ele e mais 4 famílias, naquele tempo que você não tinha ganância de terra, você chegava e dizia “seu João, posso fazer uma casinha?”. Se deixasse você fazia.
...continue lendo

Beira do Rio 16out

Beira do Rio

“Damião Ferreira Lima, 43 anos, aqui no rio no Tietê gosto muito de pescar, trabalho de vigilante aqui no porco, aqui tem muita riqueza que o homem ‘tá’ destruindo, muita poluição, aqui é muito rico em natureza… eu vivo a natureza aqui em Araçatuba, sou nascido e criado aqui. Eu era pescador né, vinha pescar
...continue lendo

Amor por Paraisópolis 16out

Amor por Paraisópolis

“Meu nome é Francisca Quitéria da Silva Rodrigues, tenho 33 anos, nasci em Fortaleza e cheguei em São Paulo em 87, veio eu, minha mãe e 2 irmãs, viemos porquê minha mãe veio fugida do meu pai porquê ele era agressivo quando bebia. Meus tios ajudaram, minha mãe pegou a gente um dia e falou
...continue lendo

Vila Santana 10set

Vila Santana

“Me chamo Agnaldo Moraes, sou aqui da Vila Santana, em Valinhos, e a maior lembrança que tenho é do campo de bocha do Clube Operário. O campo era precário, velho e sujo mas era divertido, gostoso, uma animação total. Depois foi feito o Supermercado Caetano e a bocha passou mais para a frente. Eu digo
...continue lendo

Vida no chá 10set

Vida no chá

“Conhecer o chá eu conheci com cinco anos. Porque o meu pai trouxe uma muda, uma semente de chá não sei de onde! Ele semeou na areia e esse chá começou brotar! Então o meu pai me deu uma latinha e disse “Agora você vai ‘escoiê’ os broto e ‘colocá’ nessa latinha.” Isso eu lembro
...continue lendo