Meio Corpo

Você está aqui:
TODOS
Cidade e campo 01nov

Cidade e campo

“Meu nome é Cristiane Rodrigues Lima de Oliveira, tenho 44 anos e ‘tô’ aqui já faz 1 ano. Foi muito bom eu ter descoberto isso aqui, eu não fazia ideia antes do que era isso, eu achava que Sem Terra era uma coisa feia, uma coisa ruim. Isso não existe, não são cangaceiros, não são
...continue lendo

Trabalho nas ruas 01nov

Trabalho nas ruas

“Aparecido Cardoso, vou fazer 61 anos agora em outubro. essa atividade é uma atividade que praticamente eu trabalhei em várias empresas em São Paulo e até agora não pude pagar o restante pra completar o INSS, eu queria pagar de uma vez mas não pude pagar, o meu serviço na minha cidade não existe mais,
...continue lendo

Fotografia e Capão 31out

Fotografia e Capão

“Meu nome é Anderson, Anderson Vieira, tenho 28 anos, sou conhecido como Tom, apelido de família, desde pivete me chamam assim. Moro no Capão há uns 15 anos, sou de Vitória da Conquista, na Bahia, vim pra cá com 2 anos, aquela famosa história da família que vem tentar a sorte na terra da oportunidade.
...continue lendo

Mulheres nos espaços 31out

Mulheres nos espaços

“Uma das minhas grandes alegrias é saber que hoje mulheres também participam de competições de laço. Participam mesmo, não é que entram e só. Cuidam dos bichos, dos espaços, dos veículos. Estão inseridas em todos os espaços. Não essa assim, meu querido. Pouco tempo atrás não era assim.”

Rap de Hoje 30out

Rap de Hoje

“Meu nome é Adnan Estevam de Oliveira Santos, tenho 22 anos, atualmente eu atuo no grupo Dilema Rap. Em questão de dificuldade, o mais difícil é a questão da produção, em geral é difícil pra todo mundo, mas pra gente é mais difícil, a questão do marketing, da publicidade, colocar o trabalho na rua, conseguir
...continue lendo

Família dos cavalos 29out

Família dos cavalos

“Meu nome é Marcelo Vieira Roldan, tenho 43 anos, trabalho há 20 anos com cavalo. Hoje eu sou ferrador, eu ferro cavalo porquê eu gosto. Sempre vivi esse mundo dos cavalos. Meu pai era treinador de cavalo de corrida, eu ajudava ele desde os 7 anos de idade. Minha família já tem 100 anos que
...continue lendo

Paraisópolis do bem 28out

Paraisópolis do bem

“Joildo Barreto dos Santos, tenho 31 anos. Então, eu nasci numa cidade chamada Ituberá, lá no Sul da Bahia, uma cidade que tem cachoeira, que tem praia, é uma cidade no litoral baiano bastante quente, e lá é o segundo maior produtor de guaraná do Brasil, então a empresa lá emprega muita gente local nessa
...continue lendo

Meu lugar 28out

Meu lugar

“Meu nome é Juan Carlos de Almeida Souza, tenho 28 anos, sou nascido aqui em Araçatuba, filho do João Henrique de Souza. Graças a Deus eu tive o privilégio de conhecer esse lugar maravilhoso que é a Prainha, é um lugar maravilhoso pra quem gosta da natureza. Antes disso eu era pedreiro, eu tomava conta
...continue lendo

Estradas da vida 27out

Estradas da vida

“Joaquim Roberto Simões, tenho 51 anos, já ‘tô’ aqui na parte da cana já há uns 17 anos, eu vivi muito tempo na estrada, 22 anos na estrada, depois passei pra cá. Claro, ainda sou caminhoneiro, mas ser caminhoneiro aqui é uma rotina diferente do que tinha antes. Foi tudo meio de repente, com esse
...continue lendo

Trabalhar e trabalhar 27out

Trabalhar e trabalhar

“Antônio Francisco, 71 anos. 27 aqui na Asten, entrei aqui em 1990. Eu sou de Campinas, moro lá. Eu vim aqui, fiz um teste, fui aprovado e comecei. Comecei com a ferramentaria mesmo, aqui eu ‘tô’ há 27 anos. Tem que trabalhar, né! Eu gosto do que eu faço, certo, todos esses anos sempre na
...continue lendo

Projeto Tamar 26out

Projeto Tamar

“Tenho 43 anos, 19 aqui em São Paulo. Eu trabalho no Tamar há 28 anos já. Na verdade, a história começou porquê lá no Espírito Santo, eles consertavam os carros do Tamar na oficina do meu pai, então eu já trabalhava com o meu pai de ajudante de mecânico, só que eu não queria ser
...continue lendo

Meu espaço 26out

Meu espaço

“João Francisco de Lima, 61 anos, eu gosto muito daqui, faz 4 anos que eu moro aqui, certo? Em Araçatuba faz tempo que moro, mas vim pra cá atrás da minha terra a uns 4 anos. Foi quando vim pra cá que eu entrei no MST. Um aluta justa, uma luta por terra. Aqui eu
...continue lendo

Vida no Café 25out

Vida no Café

“Vivi todos meus anos no mundo do café. Da infância até hoje. Fico feliz, muito feliz, quando olho para trás e vejo tudo que vivi.”

Meu violino 24out

Meu violino

“Meu nome é Luana e tenho 10 anos e gosto bastante de tocar violino. Eu descobri que gosto quando assisti um filme, aí tinha uma mulher tocando e uma orquestra tocando atrás, aí eu falei ‘mãe, quero tocar violino’ aí ela me levou e eu fiz a inscrição, já ‘tô’ tocando faz 3 anos.”

Aprender e ensinar 24out

Aprender e ensinar

“Meu nome é Mariana dos Santos Trombetta, tenho 28 anos, sou casada há quase 5. Agora aqui na casa de caridade estou a 13 anos. Aqui eu já fiquei na cozinha ajudando na sopa, já fiquei no berçário com as crianças, a gente já deu aula de computação juntos. Também gosto muito de vir na
...continue lendo

A minha vida 23out

A minha vida

“Meu nome é Elizandra Cerqueira, tenho 29 anos. Eu nasci em Poções, na Bahia. A minha mãe, a origem dela é do Paraná, meu pai é da Bahia, eles se conheceram aqui em Paraisópolis e foram embora pra Bahia. Meu pai veio morar na construção civil aqui, pra ajudar a família na Bahia, e minha
...continue lendo

Estudo com a irmã 22out

Estudo com a irmã

“Eu estudo, ajudo minha mãe em casa, quando tem assembleia ali no Vila Soma eu vou, levo minha irmã Isabela comigo.”

Aprender e ler 21out

Aprender e ler

“Gosto de aprender. Gosto de ler.”

Fotografia 21out

Fotografia

“Tenho 25 anos, meu nome é Leonardo Henrique de Souza mas eu criei o meu próprio nome como Leo Eyed, eu sou guararapense, e como é uma cidade pequena e minha profissão expande muito que é moda dentro da fotografia. Então eu criei minha própria identidade. Estudei moda e fotografia em 2012, desde então só
...continue lendo

Livro da vida 20out

Livro da vida

“Sou Justiliano Marcos Nunes Duarte, 39 anos. Minha vida é um livro cuja história mais bonita foi quando eu tive minha mulher, meus filhos. Quando eu arrumei uma profissão, uma profissão bacana, sou chefe de cozinha, trabalho com comida de 4 países diferentes, faço comida brasileira, chinesa, japonesa, italiana. A história mais difícil foi quando
...continue lendo