Mulher

Você está aqui:
TODOS
Estudo com a irmã 22out

Estudo com a irmã

“Eu estudo, ajudo minha mãe em casa, quando tem assembleia ali no Vila Soma eu vou, levo minha irmã Isabela comigo.”

Aprender e ler 21out

Aprender e ler

“Gosto de aprender. Gosto de ler.”

Minha comunidade 20out

Minha comunidade

“Eu tenho 71 anos. Elena Simão dos Santos. Eu nasci em Pernambuco, Garanhuns, a terra que não chove e o mato é verde. Casei em 1970, vim pra cá e ‘tô’ aqui até hoje… eu fui pra Penha, morei 3 anos e meio lá, voltei pra Pernambuco duas vezes, e ‘tô’ dentro do Paraisópolis há
...continue lendo

Ele e eu 19out

Ele e eu

“Meu nome é Maria Moreira Barbosa, 77 anos. Quando eu fui buscar ele, ele é meu sobrinho, ele tinha 5 anos e tinha muitos problemas que a família não tinha como resolver, né. Aí eu fui buscar ele pra fazer o tratamento. Ele veio, ficou comigo, a gente fez os tratamentos que precisava, aí foi
...continue lendo

Melhor trabalho 18out

Melhor trabalho

“Meu nome é Elisama Carol da Silva, tenho 19 anos, nasci em Ribeirão Preto e desde então vivo aqui. eu era voluntária de uma ONG, hoje ela já não existe mais, eu era secretária e auxiliar de pedagoga… nesse dia que eu e o Moisés nos encontramos foi numa festa de comemoração pro dia das
...continue lendo

Lição para a vida 17out

Lição para a vida

“Meu nome é Roseli Rosângela Costa Silva, tenho 52 anos, trabalhar aqui no centrinho é uma coisa muito gratificante, traz um monte de lição pra vida, trabalhar com esses pacientes a gente deixa de reclamar da vida, todo o restante passa a ser bom, as vezes a gente reclama que não tem uma coisa desnecessária
...continue lendo

Morar na ocupação 14out

Morar na ocupação

“Maura Aparecida Souza Clementino, eu moro aqui na região de Sumaré há 37 anos. Não moro aqui no Vila Soma, eu tenho casa no Bandeirantes. Mas sabe, apesar de todas as dificuldades que o pessoal tem vivendo aqui nessa ocupação eu viria pra cá se tivesse a oportunidade. Viria pra respirar, sabe. Seja a questão
...continue lendo

Tóquio Araçatuba 13out

Tóquio Araçatuba

“Meu nome é Katyuscia Sayuri Shino, tenho 24 anos, eu nasci em Araçatuba, fiquei aqui em Araçatuba até os 9 anos. Minha infância foi tranquila, eu morei com os meus avós a maior parte, foi bem interiorana. Eu fui bem mimada na infância, a minha vó uma era da cidade e outra era do sitio,
...continue lendo

Araçatuba e UNESP 11out

Araçatuba e UNESP

“Meu nome é Marina Costa Faria, tenho 24 anos e sou médica veterinária. faz algum tempo que eu ando de um lado pro outro por causa da faculdade que sempre exigiu muito essa coisa de fazer os estágios e de conhecer novos campos de trabalho, e com isso eu vim parar em Araçatuba, caí meio
...continue lendo

Ensinar desafios 10out

Ensinar desafios

“Meu nome é Cistina Maria Luísa da Silva, eu tenho 36 anos, tem 20 anos que eu saí de Macaé, eu moro em Paraty e trabalho aqui no sertão de Ubatumirim, nessa escola já fazem 3 anos. quis muito trabalhar aqui, me identifiquei com a comunidade, com as carências, é um desafio educacional, social e
...continue lendo

Números 25set

Números

“Sou Bruna de Oliveira Rego, 24 anos. ‘Tô’ aqui nesse trabalho há 10 meses. Eu trabalhava numa empresa só de faturamento, o trabalho englobava um pouco mais de funções. Mas com a crise me dispensaram e fiquei 1 ano desempregada e aí surgiu oportunidade aqui na Asten. Sabe o que me fascina no meu trabalho?
...continue lendo

Doença incurável 23set

Doença incurável

“Sou Sandra, tenho 58 anos. Já passei por quase todos hospitais aqui em Campinas. Todos, e o que eu encontrei o tratamento melhor, que é mais liberto, mais livre, mais higiênico, que dá liberdade de falar, de pensar, de agir também, seja a forma que for foi aqui no caps David Capistrano. No outro lado
...continue lendo

A minha cidade 21set

A minha cidade

“Meu nome é Míria Souza dos Santos, tenho 33 anos, sou natural de Presidente Prudente. Trabalho atualmente no Tênis Clube, minha trajetória aqui na cidade eu comecei trabalhando profissionalmente com 12 anos, na atual Fundação Mirim, e vim trabalhando desde cedo, a cidade sempre me proporcionou coisas boas. Já fui morar fora e realmente a
...continue lendo

A depressão 20set

A depressão

“Sou Lucimara Lessi, 46 anos. Já tem 9 anos que eu faço tratamento de depressão. Eu fazia particular, trabalhando, até que eu fui afastada do trabalho por causa da depressão, aí eu não pude mais voltar a trabalhar, a empresa não me aceitou mais. Aí eu fiquei sem receber, tô na justiça pra poder me
...continue lendo

Uma vida de trabalho 15set

Uma vida de trabalho

“Sou Maria Aparecida Maurício, 58 anos. Sou ‘lavrourista’, dia 3 de dezembro vai fazer 5 anos que eu ‘tô’ aqui na fazenda, mas comecei a trabalhar mesmo quando eu tinha 10 anos. Não consigo imaginar uma vida sem trabalho.”

Vida na estrada 14set

Vida na estrada

“Sou Maria José Ferreira dos Santos, 63 anos. Olha, se eu fosse homem eu seria caminhoneiro, pra ficar na estrada, sempre na estrada. Esse sentimento de movimento sempre me perseguiu! Quando eu trabalhava nas casas de família eu nunca quis ter carteira registrada, porque se o patrão me olhasse torto, eu já falava tchau. Voltava
...continue lendo

Vida no chá 10set

Vida no chá

“Conhecer o chá eu conheci com cinco anos. Porque o meu pai trouxe uma muda, uma semente de chá não sei de onde! Ele semeou na areia e esse chá começou brotar! Então o meu pai me deu uma latinha e disse “Agora você vai ‘escoiê’ os broto e ‘colocá’ nessa latinha.” Isso eu lembro
...continue lendo

A música 08set

A música

“Meu nome é Joyce Rodrigues, tenho 20 anos. Eu aprendi a tocar instrumentos quando eu tinha uns 6 anos o violão, minha mãe sempre tocou desde pequena, aí eu lembro que um dia ela ‘tava’ saindo de casa pra fazer alguma coisa e eu enchendo o saco dela há horas pra tocar violão. Aí ela
...continue lendo

Familia da Roseira 06set

Familia da Roseira

“Sou Dandewara Pereira 42 anos, nasci em Campinas e estou no jongo há aproximadamente 4 anos. Eu acompanhava as atividades que eles faziam em outros lugares, como no Largo São Benedito e em outras atividades que eles participavam, praticamente onde tinha apresentação do jongo eu acompanhava. Ia como visitante, aí, há quatro anos que eu
...continue lendo

Exemplo da mãe 05set

Exemplo da mãe

“Talita de Melo Luiz, 29 anos. Entrei no CAPS no final de novembro do ano passado, entrei numa vaga provisória pra uma licença maternidade sem nunca ter trabalhado no CAPS antes. Mas foi algo que busquei, sabe. Fiquei quatro meses fazendo vários processos, tentando, tentando, e sofrendo, não conseguia. Foi uma luta, até que um
...continue lendo