Sentado

Você está aqui:
TODOS
Experiências da vida 21set

Experiências da vida

“Vivi uma experiência curiosa com fotografia esses tempos atrás. Eu ‘tava’ andando na 13 de Maio em Campinas e daí chegou em mim um fotógrafo e perguntou se podia fazer uma sessão de fotos, para um trabalho que, basicamente, era um projeto que buscava pessoas que não entravam tanto no ‘padrão tradicional da personalidade campineira’.
...continue lendo

A depressão 20set

A depressão

“Sou Lucimara Lessi, 46 anos. Já tem 9 anos que eu faço tratamento de depressão. Eu fazia particular, trabalhando, até que eu fui afastada do trabalho por causa da depressão, aí eu não pude mais voltar a trabalhar, a empresa não me aceitou mais. Aí eu fiquei sem receber, tô na justiça pra poder me
...continue lendo

Sossego em casa 19set

Sossego em casa

“Vivo um período da minha vida que eu quero mais é sossego. Só sossego, o resto deixo pra segundo lugar.”

Música guia 14set

Música guia

“Estou aqui para tratar de um transtorno bipolar. Faz um tempo, se eu não me engano fazem uns 3 anos porque eu estava num outro CAPS lá no Taquaral, aí eu parei de tomar os remédios e voltou tudo de novo. Foi quando minha mãe me trouxe até aqui e eu comecei a fazer o
...continue lendo

Ser estrangeiro 13set

Ser estrangeiro

“Sou o Pedro Manzanga, 21 anos e faço faculdade de psicologia. Sou de Angola. Fui muito bem acolhido pelo povo brasileiro. Tenho uma relação bem tranquila com o povo da cidade, eles admiram um pouco o estrangeiro, é uma cidade do interior então é bem tranquilo.”

Meus 91 13set

Meus 91

“Meu nome é João Francisco de Bau, 91 anos. Esse espaço é meu reino hoje. Pra mim isso é uma terapia, eu ‘tô’ com essa idade e eu não tenho outra coisa mais a fazer do que isso, e eu sem isso não posso viver. Eu moro sozinho e nesse sozinho você fica encabulando as
...continue lendo

Bagunça e escola 09set

Bagunça e escola

“Até gosto de ir na escola, mas brinca com meus amigos aqui em casa é bem mais legal.”

A música 08set

A música

“Meu nome é Joyce Rodrigues, tenho 20 anos. Eu aprendi a tocar instrumentos quando eu tinha uns 6 anos o violão, minha mãe sempre tocou desde pequena, aí eu lembro que um dia ela ‘tava’ saindo de casa pra fazer alguma coisa e eu enchendo o saco dela há horas pra tocar violão. Aí ela
...continue lendo

Nossa terra 02set

Nossa terra

“Sou José Militão, 74 a lutador do MST. A parte melhor de viver aqui é que aqui é todo mundo irmão, o que acontece com um acontece com todo mundo. Tem outra coisa, aqui nós todos gosta daqui, a nossa patroa é a melhor que tem. Não é puxando o saco, é a realidade, o
...continue lendo

Filho de Paraisópolis 28ago

Filho de Paraisópolis

“Meu nome é Gilson Clemente da Silva, interessante falar que meu pai, que é Lourival Clemente da Silva, conhecido como Louro, foi um dos fundadores aqui de Paraisópolis. Sou o caçula de 4 filhos, nós fomos todos nascidos e criados aqui, numa época que isso aqui era tudo uma grande fazenda, na verdade o Morumbi
...continue lendo

Cidade despreparada 25ago

Cidade despreparada

“Meu nome completo é Benedito Honorato dos Santos Filho, eu nasci em São Paulo, atualmente moro em Araçatuba. Ser cadeirante aqui é terrível, você vê a calçada e ao mesmo tempo que ‘tá’ retinha já tem uma rampa. Então é perigoso, ninguém respeita os cadeirantes, ninguém pensa em quem vai passar na rua, só pensam
...continue lendo

Rua sem família 22ago

Rua sem família

“Meu nome é Luciano Andrade Teixeira, tenho 37 anos, nasci no Estado de São Paulo mas muito pequeno fui pra Salvador e voltei pra São Paulo com 18 anos. Devido a ser uma pessoa criada na praia, naquele ritmo de Salvador, tinha poucos amigos quando eu cheguei aqui em São Paulo. Aqui era mais uma
...continue lendo

Gostar de cor 17ago

Gostar de cor

“Pintura, artesanato, desenho. Essas coisas eu gosto. Gosto de cor.”

Desafios da rua 15ago

Desafios da rua

“Meu sobrenome é Felipe, meu nome é José Felipe, tenho 24 anos, moro em São Paulo, ‘tô’ na rua, moro na rua desde os meus 9 anos de idade, porém é o seguinte, não gosto de ficar na rua, mas eu gosto. O que eu não gosto da rua é a maneira que eu vivo,
...continue lendo

Minha cidade 13ago

Minha cidade

“Sou nascido dia doze de fevereiro de mil novecentos e cinquenta e um. Isso foi a 66 anos ! Nasci e cresci aqui na minha amanda Araçatuba. Minha terra é essa. Nasci aqui, me criei aqui e já viajei com muita boiada aqui. Tenho um orgulho enorme aqui da minha terra. Acho que o motivo
...continue lendo

Multiprofissional 11ago

Multiprofissional

“Meu nome é Márcio José Calsari dos Santos, sou cirurgião dentista, especialista em odonto pediatria, com mestrado e doutorado na área, com extensão também a pessoas com deficiência. sou profissional do centro de assistência odontológica a pessoas com deficiência há 20 anos concursado, cheguei como estagiário, fiquei 1 ano também como voluntário antes do concurso. meu trabalho aqui começou
...continue lendo

Abandono na Rua 09ago

Abandono na Rua

“José de Souza Santos, 59 anos. A minha história, eu fui abandonado pelos meus pais, aqui antigamente era creche, nunca mais vieram me buscar em São Paulo. Dormi duas noites aqui e depois fui pro Belenzinho, depois me transferiram lá pra Sorocaba, cresci lá, não conheço nem pai nem mãe, fiquei em Sorocaba até os 18 anos, depois fiquei no albergue lá,
...continue lendo

Polo de TV 07ago

Polo de TV

“Eu sou o Wesley Bernardo, aqui eu sou o Salsicha em Bauru, tenho 21 anos. Vim de Vitória no Espírito Santo e vim pra cursar Rádio e TV pois na época eu achava que São Paulo e Rio eram o polo principal da minha área. Eu acho que ainda tenho razão mas depois que cheguei
...continue lendo

Cultura da cidade 07ago

Cultura da cidade

“Comecei no teatro com 12 anos de idade em Botucatu onde nasci. E desde sempre estive envolvida com o meio artístico da cidade. Cidade também que me formei em Pedagogia, mas logo depois percebi a necessidade de me profissionalizar na área do teatro e cinema, percebi que era o que eu realmente queria fazer e
...continue lendo

Radinho na rua 05ago

Radinho na rua

“Cresci em um orfanato, não tenho família, mas muitas pessoas já me ajudaram. No meu radinho eu escuto música, e penso que eu só precisava conhecer alguém que me levasse pra um estúdio, e me apresentasse pra um produtor, por que eu seria o maior artista do Brasil, só precisava de uma oportunidade. Eu queria
...continue lendo