Tomás Cajueiro

Você está aqui:
TODOS
O amigo 10nov

O amigo

“Sou Messias da Silva, 41 anos. Fazem uns 3 anos que estou aqui no carvão. Antes trabalhava de cortador de cana, na usinas aqui da região. Mudei porquê o rapaz que trabalha aqui é muito meu amigo e abriu essa firma, aí me chamou pra trabalhar com ele e eu vim pela amizade. Vim pela
...continue lendo

Mudar a vida 09nov

Mudar a vida

“Jonathan Carvalho Monteiro, 22 anos e desde os 18 ‘trampando’ aqui na limpeza dos peixes. Sabe, quando comecei nesse mundo do pescado minha vontade mesmo era pescar. Sabe, aquela da aventura, de estar ali lutando contra o mar e superando desafios. Mas ai a vida vai passando e vamos perdendo as ilusões né. Hoje, que
...continue lendo

Gostar da APAE 08nov

Gostar da APAE

“Sou Deise Kratza e frequento a APAE de Valinhos desde que sou bebezinha, por isso tenho uma ligação muito forte com as pessoas e os espaços aqui da APAE. Gosto das atividades propostas, e gosto bastante do teatro.”

Aprender na vida 08nov

Aprender na vida

“Sou parte de uma geração que não teve muito acesso a estudo e que aprendeu as coisas na vida. Sabe, a escola da vida. Entra ano e sai ano você vai aprendendo cada vez mais, você nunca sabe tudo, sempre tem alguém pra te ensinar.”

Vida no campo 07nov

Vida no campo

“Eu sou Jair e vim de Mogi Guaçu em 2003, a gente costuma dizer que aqui é Bauru. Rapaz, o sofrimento foi grande, na época eu deixei meu emprego em rumo ao desconhecido. Toda vida eu trabalhei no campo, única carteira registrada que eu tive foi rural, agora eu quero ver se consigo me aposentar,
...continue lendo

A minha mãe 07nov

A minha mãe

“Meu nome é Ivanice Maria de Oliveira Lima, eu tenho 44 anos. Hoje minha vida gira em torno da minha mãe, que representa tudo pra mim. Apesar de sermos 5 irmãos, sou mais eu que cuido dela. Mas olha, pra falar a verdade, foi uma coisa positiva que ficou pra mim. Posso dizer que pra
...continue lendo

Inventar meu pai 06nov

Inventar meu pai

“Sou Emanuel, tenho 8 anos. Gosto das invenções do meu pai, gosto do carro grandão que ele fez. Acho legal, eu também quero ser um inventor.”

Família unida 29out

Família unida

“Maria Carolina Mouro César dos Reis, 37 anos. Eu comecei a trabalhar aqui depois que eu me formei, eu estudei em São Paulo, fiquei lá até 2003. Fui pra lá estudar Administração, fui não com a intenção de voltar, eu fui fazer administração e viver. Aí eu comecei a me identificar mais com esse negócio
...continue lendo

Estradas da vida 27out

Estradas da vida

“Joaquim Roberto Simões, tenho 51 anos, já ‘tô’ aqui na parte da cana já há uns 17 anos, eu vivi muito tempo na estrada, 22 anos na estrada, depois passei pra cá. Claro, ainda sou caminhoneiro, mas ser caminhoneiro aqui é uma rotina diferente do que tinha antes. Foi tudo meio de repente, com esse
...continue lendo

Trabalhar e trabalhar 27out

Trabalhar e trabalhar

“Antônio Francisco, 71 anos. 27 aqui na Asten, entrei aqui em 1990. Eu sou de Campinas, moro lá. Eu vim aqui, fiz um teste, fui aprovado e comecei. Comecei com a ferramentaria mesmo, aqui eu ‘tô’ há 27 anos. Tem que trabalhar, né! Eu gosto do que eu faço, certo, todos esses anos sempre na
...continue lendo

Projeto Tamar 26out

Projeto Tamar

“Tenho 43 anos, 19 aqui em São Paulo. Eu trabalho no Tamar há 28 anos já. Na verdade, a história começou porquê lá no Espírito Santo, eles consertavam os carros do Tamar na oficina do meu pai, então eu já trabalhava com o meu pai de ajudante de mecânico, só que eu não queria ser
...continue lendo

Aprender e ensinar 24out

Aprender e ensinar

“Meu nome é Mariana dos Santos Trombetta, tenho 28 anos, sou casada há quase 5. Agora aqui na casa de caridade estou a 13 anos. Aqui eu já fiquei na cozinha ajudando na sopa, já fiquei no berçário com as crianças, a gente já deu aula de computação juntos. Também gosto muito de vir na
...continue lendo

Aprendi com meus pais 23out

Aprendi com meus pais

“Vinturante Manuel de Assunção, 62 anos. Aprendi a fazer isso aqui com o meu pai, com a minha mãe. Aprendi assim, vendo eles fazerem. Porquê eles faziam e a gente ia ajudar, e naquilo que a gente foi ajudando, aprendi. Por isso fico muito feliz em poder fazer oficinas. Aqui foi muito bom. Eu me
...continue lendo

Estudo com a irmã 22out

Estudo com a irmã

“Eu estudo, ajudo minha mãe em casa, quando tem assembleia ali no Vila Soma eu vou, levo minha irmã Isabela comigo.”

Infância e praia 22out

Infância e praia

“Rosemar Castro de Paula, nascido em Picinguaba em 1966. Eu sou um pescador que já enjoou de pescar em alto mar, é cansativo, muitos dias fora. Hoje eu pesco artesanalmente e faço esse trabalho com os turistas de levar eles nas ilhas, vou levar os turistas pra pescar. Dá muita satisfação mostrar meu território pros
...continue lendo

Aprender e ler 21out

Aprender e ler

“Gosto de aprender. Gosto de ler.”

Livro da vida 20out

Livro da vida

“Sou Justiliano Marcos Nunes Duarte, 39 anos. Minha vida é um livro cuja história mais bonita foi quando eu tive minha mulher, meus filhos. Quando eu arrumei uma profissão, uma profissão bacana, sou chefe de cozinha, trabalho com comida de 4 países diferentes, faço comida brasileira, chinesa, japonesa, italiana. A história mais difícil foi quando
...continue lendo

Melhor trabalho 18out

Melhor trabalho

“Meu nome é Elisama Carol da Silva, tenho 19 anos, nasci em Ribeirão Preto e desde então vivo aqui. eu era voluntária de uma ONG, hoje ela já não existe mais, eu era secretária e auxiliar de pedagoga… nesse dia que eu e o Moisés nos encontramos foi numa festa de comemoração pro dia das
...continue lendo

Mãe exemplar 15out

Mãe exemplar

“Me chamo Aparecida das Graças Votolino de Souza, eu vou fazer 60 anos. Quarenta anos aqui nessa propriedade. Eu procuro ser uma mãe exemplar, uma mãe espelho, procuro colocar na família aquilo que eu tenho à base de vida, ao longo da vida. Eu procuro ouvir mais e falar menos, pra gente conviver com todas
...continue lendo

Morar na ocupação 14out

Morar na ocupação

“Maura Aparecida Souza Clementino, eu moro aqui na região de Sumaré há 37 anos. Não moro aqui no Vila Soma, eu tenho casa no Bandeirantes. Mas sabe, apesar de todas as dificuldades que o pessoal tem vivendo aqui nessa ocupação eu viria pra cá se tivesse a oportunidade. Viria pra respirar, sabe. Seja a questão
...continue lendo